sábado, 5 de maio de 2012

A vida plural de Layka é “pornô com história”, diz diretor - http://andredib.com



Foi uma longa jornada até que o curta-metragem A vida plural de Layka viesse a público. Primeiro filme pernambucano que adapta uma história em quadrinhos, o curta de neco tabosa usa técnicas de live action (atores reais) e animação para explorar o mundo de dois personagens: um rapaz que relembra sua agitada vida sexual e um pai de família que rala para pagar as contas e tem na cadela – a Layka que dá nome ao filme – seu objeto de sublimação.
A sessão-teste foi no Cinema São Luiz, em 35mm. A de lançamento será hoje à noite, em projeção digital no Cine Majestik, sala pornô recém-inaugurada no centro do Recife. Que a mistura de corpos nus e gemidos libidinosos não leve a mal-entendidos. De acordo com o diretor, o gênero de A vida plural de Layka é “pornô com história”. O filme é narrado em primeira pessoa.
Autores das HQs que serviram de base para o filme – Fragmentos de Josael e Pensei que era livre. Pensei que era bom. Pensava que seria fácil, Henrique Koblitz e Greg participaram ativamente da produção do filme, principalmente na elaboração do roteiro e da direção de arte. “Acho massa o evento ser em um cine pornô. É mais do que uma excentricidade. É uma grande crítica sobre espaços para se passar filmes independentes”, diz Koblitz, via Facebook (atualmente ele mora em São Paulo e não poderá estar na sessão).
O roteiro começou a ser escrito em 2004, após o expediente na produtora em que neco trabalhava. “Lá foram feitos os roteiros dos dois clipes da Mundo Livre dirigidos por Pedro Severien. Greg e Koblitz tinham acabado de lançar a HQ pela Livro de Papel Finíssimo Editora”. A turma submeteu o projeto aos editais. “Por quatro anos inscrevi em editais até que em 2008 ele foi premiado pelo Ary Severo, do governo do estado”.
O experimentalismo das imagens, a narrativa que alterna as realidades dos personagens, o bom trabalho de som e trilha sonora com “clássicos” do início da década passada, de Rica Amabis e Fred Zeroquatro a Textículos de Mary formam um conjunto forte, um rol de fantasias sexuais, ao alcance de qualquer cidadão.
Serviço
Lançamento do curta A vida plural de Layka, de neco tabosa
Quando: Hoje, às 21h
Onde: Cinema Majestik (Rua Princesa Isabel – Boa Vista, 121)
Entrada franca
(Diario de Pernambuco, 04/05/2012)

Um comentário:

neco tabosa disse...

qual é a desse novo blogger?