sábado, 22 de dezembro de 2012

Sobre o curta A vida plural de Layka: Entrevista | Agito Cultural

http://agitocultural.com/sobre-o-curta-a-vida-plural-de-layka-entrevista/


O Agito quis saber um pouco sobre o curta A vida plural de Layka e fez uma entrevista com dois dos responsáveis pelo fime. Neco Tabosa é diretor e Greg é um dos autores do quadrinho.
por Paula Xavier
Entrevista:
1. De onde você tirou a ideia do filme? Ele é inspirado em algo que você viveu ou em alguém que você conhece? 

Greg: A vida plural de Layka é ficção carregada de sentimentos muito reais. Enquanto um personagem repensa sua rotina de trabalho e família como se fosse um intervalo da sua vida, o outro recria as pessoas que passaram pela sua vida, e o ponto em comum dos dois é Layka, uma cadela que representa a vida sem escudos, sem jogos e cobranças, só o amor. O que reforça a condição merda de uma vida humana tão carente afetivamente e perdida. Coisas que só paramos pra analisar depois que estava tudo pronto. Nessa época trabalhávamos o dia todo desenhando e fazíamos todas as histórias que passassem pela nossa cabeça, sem censura alguma. Isso nos rendeu coisas legais, como a revista fusão, onde muitas dessas HQs foram publicadas e a editora Livrinho de Papel Finíssimo. Ah, não somos a favor de sexo com animais, não era esse o ponto de discussão, não era nisso que queríamos focar. Layka era apenas um livretinho de 16 páginas
2. O que você quis passar para as pessoas? Alguém reflexão, crítica?
Neco TabosaA gente quis fazer um filme sobre estar vivo hoje no Brasil. Vidas que, mesmo que levadas de formas diferentes, se encontrariam nas situações mais bizarras… e por isso mesmo consideradas comuns.
3. Você acha que o curta tem alguma ligação com o cinema pornô sem se prender a padrões comerciais e produções com intenção de despertar a libido de quem vê, como geralmente são os filmes pornôs?
Neco Tabosa: A gente desconfia que ao assistir os filmes pornôs convencionais todo o sangue sai da cabeça para o pau. Esse curta quer despertar a libido sem tirar todo o sangue do cérebro. Sinceramente, não sei ainda se deu certo.
4. Por que vocês escolheram logo um cine pornô para a primeira exibição do curta?
Neco Tabosa: Porque tinha acabado de inaugurar um aqui perto de minha casa. E pra aumentar a confusão sobre o teor do curta.

Nenhum comentário: