sexta-feira, 18 de maio de 2012

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Curta de animação é (foi) lançado em cinema pornô do Centro do Recife nesta sexta - pernambuco.com



Dois homens, uma cadela e diversas mulheres vivem um polígono amoroso no filme A Vida Pluial de Layka. O curta-metragem mistura atores e cenários reais com diversas técnicas de animação, como computação gráfica 3D, desenho animado 2D e objetos animados em stop motion.
Filmado com recursos do governo de Pernambuco e da prefeitura do Recife, o filme será exibido publicamente pela primeira nesta sexta (04/05), às 21h, no Cineclub Majestick, um cinema pornô no Centro da cidade, na Rua Princesa Isabel, 121, Boa Vista. "Acho massa ser em um cine pornô. É mais que uma excentricidade, é uma grande critica sobre espaços para se passar filmes independentes, espaços com pouca burocracia e um projetor", defende Henrique Koblitz Essinger (HKE), um dos artistas criadores de Layka.
A entrada é grátis.
O filme é baseado em uma história em quadrinhos com desenhos de HKE e Greg (cartunista doDiario). Para levar o projeto às telas, a dupla recebeu a colaboração do cineasta Neco Tabosa (responsável pela direção e produção) e de artistas como Diogo Todé e Moa Lago.

Leia o texto de divulgação do lançamento filme:
Sessão especial! Gente bonita! Clima de paquera! Presença de famosos! Ambiente higienizado! Venda de pôsters! Projeção melhor que a do Multiplex Recife! Ar condicionado! Exibição digital com som legal! Não vendem café no bar, só Nova Sxxxin! Pague quanto quiser (pra ajudar na cota da energia elétrica) !!

"No Recife, a rotina de um funcionário metódico intercala-se com uma vida repleta de desventuras sexuais. No filme, atores reais misturam-se com animações. Nessa história, uma pergunta: aonde sua vida lhe leva quando você se perde nos detalhes?"

sábado, 5 de maio de 2012

A vida plural de Layka é “pornô com história”, diz diretor - http://andredib.com



Foi uma longa jornada até que o curta-metragem A vida plural de Layka viesse a público. Primeiro filme pernambucano que adapta uma história em quadrinhos, o curta de neco tabosa usa técnicas de live action (atores reais) e animação para explorar o mundo de dois personagens: um rapaz que relembra sua agitada vida sexual e um pai de família que rala para pagar as contas e tem na cadela – a Layka que dá nome ao filme – seu objeto de sublimação.
A sessão-teste foi no Cinema São Luiz, em 35mm. A de lançamento será hoje à noite, em projeção digital no Cine Majestik, sala pornô recém-inaugurada no centro do Recife. Que a mistura de corpos nus e gemidos libidinosos não leve a mal-entendidos. De acordo com o diretor, o gênero de A vida plural de Layka é “pornô com história”. O filme é narrado em primeira pessoa.
Autores das HQs que serviram de base para o filme – Fragmentos de Josael e Pensei que era livre. Pensei que era bom. Pensava que seria fácil, Henrique Koblitz e Greg participaram ativamente da produção do filme, principalmente na elaboração do roteiro e da direção de arte. “Acho massa o evento ser em um cine pornô. É mais do que uma excentricidade. É uma grande crítica sobre espaços para se passar filmes independentes”, diz Koblitz, via Facebook (atualmente ele mora em São Paulo e não poderá estar na sessão).
O roteiro começou a ser escrito em 2004, após o expediente na produtora em que neco trabalhava. “Lá foram feitos os roteiros dos dois clipes da Mundo Livre dirigidos por Pedro Severien. Greg e Koblitz tinham acabado de lançar a HQ pela Livro de Papel Finíssimo Editora”. A turma submeteu o projeto aos editais. “Por quatro anos inscrevi em editais até que em 2008 ele foi premiado pelo Ary Severo, do governo do estado”.
O experimentalismo das imagens, a narrativa que alterna as realidades dos personagens, o bom trabalho de som e trilha sonora com “clássicos” do início da década passada, de Rica Amabis e Fred Zeroquatro a Textículos de Mary formam um conjunto forte, um rol de fantasias sexuais, ao alcance de qualquer cidadão.
Serviço
Lançamento do curta A vida plural de Layka, de neco tabosa
Quando: Hoje, às 21h
Onde: Cinema Majestik (Rua Princesa Isabel – Boa Vista, 121)
Entrada franca
(Diario de Pernambuco, 04/05/2012)