sábado, 22 de dezembro de 2012

Sobre o curta A vida plural de Layka: Entrevista | Agito Cultural

http://agitocultural.com/sobre-o-curta-a-vida-plural-de-layka-entrevista/


O Agito quis saber um pouco sobre o curta A vida plural de Layka e fez uma entrevista com dois dos responsáveis pelo fime. Neco Tabosa é diretor e Greg é um dos autores do quadrinho.
por Paula Xavier
Entrevista:
1. De onde você tirou a ideia do filme? Ele é inspirado em algo que você viveu ou em alguém que você conhece? 

Greg: A vida plural de Layka é ficção carregada de sentimentos muito reais. Enquanto um personagem repensa sua rotina de trabalho e família como se fosse um intervalo da sua vida, o outro recria as pessoas que passaram pela sua vida, e o ponto em comum dos dois é Layka, uma cadela que representa a vida sem escudos, sem jogos e cobranças, só o amor. O que reforça a condição merda de uma vida humana tão carente afetivamente e perdida. Coisas que só paramos pra analisar depois que estava tudo pronto. Nessa época trabalhávamos o dia todo desenhando e fazíamos todas as histórias que passassem pela nossa cabeça, sem censura alguma. Isso nos rendeu coisas legais, como a revista fusão, onde muitas dessas HQs foram publicadas e a editora Livrinho de Papel Finíssimo. Ah, não somos a favor de sexo com animais, não era esse o ponto de discussão, não era nisso que queríamos focar. Layka era apenas um livretinho de 16 páginas
2. O que você quis passar para as pessoas? Alguém reflexão, crítica?
Neco TabosaA gente quis fazer um filme sobre estar vivo hoje no Brasil. Vidas que, mesmo que levadas de formas diferentes, se encontrariam nas situações mais bizarras… e por isso mesmo consideradas comuns.
3. Você acha que o curta tem alguma ligação com o cinema pornô sem se prender a padrões comerciais e produções com intenção de despertar a libido de quem vê, como geralmente são os filmes pornôs?
Neco Tabosa: A gente desconfia que ao assistir os filmes pornôs convencionais todo o sangue sai da cabeça para o pau. Esse curta quer despertar a libido sem tirar todo o sangue do cérebro. Sinceramente, não sei ainda se deu certo.
4. Por que vocês escolheram logo um cine pornô para a primeira exibição do curta?
Neco Tabosa: Porque tinha acabado de inaugurar um aqui perto de minha casa. E pra aumentar a confusão sobre o teor do curta.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

domingo, 16 de dezembro de 2012

sessão tensa - na Mau Mau


"finalmente uma cadelinha, papai..." - Lux

sábado, 15 de dezembro de 2012

infografia (para auxiliar na compreensão) - Greg



cansado de ficar confuso com a história que ele mesmo criou, Greg resolveu desenhar esses práticos infográficos para auxiliar na compreensão geral do todo. ninja!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

gif


http://1.bp.blogspot.com/-NINgl0fiPr8/UMtALEfRCeI/AAAAAAAAAeY/6PHtVIWkmFs/s1600/anima-layka.gif

foi mal, Grog. apaguei a tua pensando que era falha aqui da minha postagem...
(e Kobla fica com a cabe'ca meio vazia nessa visualizacao...lombia...)

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

vice e versa / arte: Greg


Hke Koblitz / Gregorio Vieira  e vice e versa
arte de Greg pro relançamento do livrinho que deu origem à lombra

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

domingo, 9 de dezembro de 2012

FestCine, a grande vitrine dos curtas pernambucanos - www.andredib.com



Spencer, Hildo (?) e Sagatio
Noite de premiação do I FestCine, no Cinema São Luiz, em Recife - PE. Foto: Ricardo Moura/Secult-PE.



O 14° FestCine – Festival de Vídeo de Pernambuco terminou ontem, em cerimônia de premiação e homenagens no Cinema São Luiz. É a maior vitrine para a produção pernambucana de curta-metragem. É também o último grande evento de cinema do calendário estadual, cada vez mais movimentado. Foram cinco dias de evento, que exibiu mais de 60 filmes feitos no estado, entre obras de ficção, videoclipe, animação, de trabalhos experimentais e documentais. O novo nome, FestCine, valoriza a liberdade de formato e suporte que o cinema tem experimentado nos últimos anos.

Na Mostra Competitiva Geral, os primeiros colocados receberam R$ 6 mil cada, os segundos R$ 4,5 mil e os terceiros R$ 3 mil. Os vencedores da Mostra Competitiva de Formação receberam R$ 3 mil cada. O júri foi formado por Kátia Mesel, Lia Letícia, Maurício Nunes e Rodrigo Carreiro (geral) e Andréa Mota, Yanara Galvão e Zacarias Garcia (formação).

Realizado pela Secult/PE, Fundarpe e pela Fundação de Cultura da Cidade do Recife, o 14° FestCine teve como homenageados como o cineasta Fernando Spencer; o ator, produtor e diretor de elenco Rutílio de Oliveira, falecido em agosto deste ano; o chefe eletricista João Sagatio; e José Hildo, técnico projecionista mais conhecido por Velocidade Máxima.

Paranaense da Lapa, Sagatio vive no Recife desde os anos 1990. Seu currículo inclui centenas de produções, entre elas, o lendário filme “O pagador de promessas” (1962). Lançado no festival, o curta “Histórias de Cinema”, de Amaro Filho (Página 21), revisita a sua trajetória, do interior do Paraná, São Paulo, Bahia e Pernambuco. José Hildo também contou com um filme para si, “Velocidade Máxima”, de Tiago Delácio.

Mostra Competitiva Geral

Ficção
 1° colocado: “Luiza”, de Tila Chitunda
 2° colocado: “A vida plural de Layka”, de Neco Tabosa
 3° colocado: “A menina da boneca”, de André Pinto

Documentário
 1° colocado: “Urânio Picuí”, de Antonio Carrilho e Tiago Melo
 2° colocado: “Garotas da moda”, Tuca Siqueira
 3° colocado: “Zuleno”, de Felipe Peres Calheiros

Experimental
 1° colocado: “Porcos raivosos”, de Leonardo Sette e Isabel Penoni.
 2° colocado: “Dique”, de Adalberto Oliveira
 3° colocado: “Corpo presente”, de Marcelo Pedroso

Videoclipe
 1° colocado: “Clipe poliglota”, de Felipe Falcão e Eduardo Pereira.
 2° colocado: “Baião”, de Pedro de Maia Brito
 3° colocado: “Barra”, de Jean Santos

Animação
 1° colocado: “Abrupto”, de Ayodê França
 2° colocado: “Viceral”, de Bruno Cabús
 3° colocado: “Reminicências”, de Clarissa Machado

Menção Honrosa: “Maracatu Atômico – Kaosnavial”, de Afonso Oliveira e Marcelo Pedroso, e “O guarda”, de Leo Bandeira.

Mostra Competitiva de Formação

Melhor Ficção: “Musa”, Leo Leite
 Melhor Documentário: “{RE} VER”, de Annyela Rocha, Arthur Baptista e Paula Caal.
 Menção Honrosa: “Hempocrisy”, de Maria Aline Moares

* com informações da Fundarpe

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012 / Expectativa 2013


A vida plural de Layka no Cinema da Fundação Joaquim Nabuco | segunda, 10/12 | 20h30 | Programa Curtas PE 1 | junto com os novos curtas de Bidu Queiroz e Gabriel Mascaro

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Expectativa 2013 / Retrospectiva 2012 (ano 15) - Cinema da Fundação


01 sala, 12 dias, 35 filmes, 37 sessões


Pelo 15º ano consecutivo, o Cinema da Fundação Joaquim Nabuco tem o prazer de oferecer a melhor programação de cinema da cidade para o final de ano.


A partir desta sexta-feira, 7 de dezembro (até 18 de dezembro), a sala do Derby projeta 35 filmes (28 longas-metragens + 7 curtas) dos quais 10 são totalmente inéditos nos cinemas do Recife, com o destaque de que parte deles não apenas estrearam nos mais importantes festivais de cinema do mundo, como de lá saíram premiados.

São exemplos “Pietá”,de de Kim Ki-Duk (Leão de Ouro no Festival de Veneza 2012); “Além das Montanhas”, de Christian Mungiu (Melhor atriz e Melhor roteiro em Cannes 2012; “Lawrence Anyways”, de Xavier Dolar (Prêmio de melhor atriz na mostra Un Certain Regard, em Cannes 2012. Melhor filme no Festival de Toronto 2012); “A Caça”, de Thomas Vinteberg (Melhor Ator em Cannes 2012); e “Um Alguém Apaixonado”, de Abbas Kiarostami. (Seleção oficial Cannes 2012).

E nesta ano especial em que Pernambuco chamou a atenção tornando-se destaque nos festivais de cinema do Brasil e do mundo, a Expectativa/Retrospectiva promove a exibição de seis longas e sete-curtas metragens desta nova safra.

Entre os longas, apresentamos o filmes que dividiram o prêmio máximo no 45º Festival de Brasília (em setembro), “Eles Voltam”, de Marcelo Lordello, “Era Uma Vez Eu, Verônica”,de Marcelo Gomes; além do badalado “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho. As sessão são seguidas de debate com os realizadores, assim como nos dois programas de curtas pernambucananos (com sessão de curtas ao preço de R$ 1).

PROGRAMAÇÃO COMPLETA NO http://cinemaescrito.com/ DO INTRÉPIDO LUIZ JOAQUIM



SEGUNDA – 10.DEZ


15h - Milennium - os homens que
não amavam as mulheres
(The Girl with the Dragon Tattoo, EUA, Sue. Nor., 2012) De David Fincher. Com Daniel Craig, Rooney Mara, Christopher Plummer. A
polícia nunca encontrou pistas sobre a jovem que desapareceu há 36
anos, na propriedade de uma família sueca aristocrática. É quando seu
tio contrata um jornalista investigativo para desvendar o mistério, que
por sua vez pede ajuda a uma investigadora anti social. David Fincher
(Seven, Clube da Luta, A Rede Social) deu ainda mais energia à história
que era best-seller, e Rooney Mara, como Lisbeth, passou a ser a musa
de muitos cinéfilos. Oscar de melhor montagem 2012 / Indicado ao Oscar de fotografia, edição de som, mixagem, atriz coadjuvante (Rooney Mara).
Sony / 158 min. / 35mm / TELA LARGA / 16 anos


18h10 – Cosmópolis
(Canadá/França, 2012) De David Cronenberg. Com Robert Pattinson,
Juliette Binoche, Paul Giamatti.
109 mins. / Em 35mm / 16 anos. / Inédito


20h30 - Curtas PE 1
( + debate – preço único R$ 1,00)

A VIDA PLURAL DE LAYKA (2012 / 15’ ) Neco Tabosa
No Recife, a rotina de um funcionário metódico intercala-se com uma vida repleta de desventuras sexuais. No filme, atores reais misturam-se com animações. Nessa história, uma pergunta: aonde sua vida lhe leva quando você se perde nos detalhes?

PASSAGEIRA S8º (2012 / 10’ ) Bidu Queiroz
Homem persegue mulher insistentemente pelas ruas do Recife


A Onde Traz, O Vento Leva, (2012 / 25’ ) Gabriel Mascaro
Rodrigo é surdo e trabalha em uma equipadora, instalando som em carros. O filme é uma jornada sensorial sobre um cotidiano marcado por ruídos, vibrações, incomunicabilidade, ambiguidade e dúvidas.


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

14o FestCine do Hellcife


cartazes dos caralhos dos SuperTerra!
foto: Milena Evangelista